Você sabia que a automedicação ainda é a principal causa de intoxicação no Brasil? Os erros de medicação causam pelo menos uma morte todos os dias e prejudicam aproximadamente 1,3 milhão de pessoas anualmente.

Para evitar riscos, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) determina que a comercialização de remédios no Brasil seja classificada pela cor da tarja estampada na embalagem (PORTARIA Nº 3.916, DE 30 DE OUTUBRO DE 1998 que define a Política Nacional de Medicamentos):

Remédios sem tarja: são considerados de “venda livre” e raramente têm contraindicação. São medicamentos que apresentam baixos efeitos colaterais, quase nulos no organismo, e não necessitam de prescrição médica.

Tarja vermelha: são medicamentos que exigem apresentação de receita médica. Geralmente é uma receita simples, mas dependendo do tipo do medicamento, só poderá ser vendido com receituário de cor branca que fica retido na farmácia.

Tarja preta: são controlados e requerem fiscalização rigorosa, pois agem diretamente no sistema nervoso, com efeito sedativo, podendo causar vício e dependência. A prescrição médica é exigida para sua compra e retida após a entrega do medicamento.

Para auxiliá-lo sobre o uso, descarte e consumo correto de medicamentos, a farmácia de manipulação disponibiliza uma assistência farmacêutica personalizada. Faça seu agendamento pelo número (32) 3250-1900, pelo site www.farmacialascasas.com.br, ou pelo WatsApp (32) 9 8897-7415.

Fique atento! Além de verificar a tarja, procure inspecionar os prazos de validade do remédio e a proteção do lacre da embalagem